Mercado Imobiliário Do País Tem 2º Trimestre Positivo Em Ritmo De Retomada 31 Aug 2018


No intervalo, lançamentos no mercado imobiliário registraram crescimento mais bem mais expressivo que vendas

Seguindo a tendência de retomada, o mercado imobiliário apresentou novamente um desempenho positivo no segundo trimestre do ano. As vendas e os lançamentos de imóveis novos evoluíram novamente, conforme apontam os Indicadores Abrainc-Fipe. No período, as comercializações líquidas contabilizaram 29.003 unidades, um incremento de 7,7% sobre idêntica etapa de 2017.

Em 12 meses até junho, foram vendidos 114.882 imóveis, uma progressão de 11,5% sobre o período precedente (até junho de 2017). Os cálculos são da Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), em parceria com a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), com base em dados de 20 incorporadoras de vários estados associadas à associação.

A velocidade de comercializações medida pelo VSO (vendas sobre oferta) atingiu 20,3% em 12 meses, variação 1,2 ponto percentual (pp) menor que a apuração de maio, nessa comparação.

Do total de comercializações nos últimos 12 meses, os empreendimentos de médio e alto padrão (MAP) responderam por 31,0% das unidades residenciais vendidas, uma retração de 3,0% face o intervalo anterior. Outros 69,0% foram relativo a unidades enquadradas no programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), uma elevação de 24,8% na mesma base comparativa.

Mais lançamentos

no segundo trimestre, as incorporadoras continuaram investindo mais no país, com o lançamento de 25.681 imóveis, um crescimento de 41,5%. Em 12 meses, foram lançadas 92.338 unidades, um avanço de 34,4%.

Os destaques foram os empreendimentos MAP, que tiveram um volume lançado 61,6% maior em 12 meses em relação ao intervalo precedente, o equivalente a 23,2% dos novos imóveis ofertados. O MCMV correspondeu por 76,8% dos lançamentos, representando um acréscimo de 25,7%.

Outros dados

No encerramento de junho, o Brasil reportou 121.286 imóveis novos disponíveis para venda. Se considerar o ritmo de comercializações no período, o estoque levaria 14,8 meses para ser liquidado.

Os dados consolidados abrangem imóveis novos (na planta, em obras e recém-construídos) dos segmentos residencial, comercial e loteamentos espalhados por vários estados, especialmente na região Sudeste. Já as entregas alcançaram a marca de 6.049 imóveis em junho.

Em relação aos distratos, ocorreram 2.034cancelamentos de contratos em maio, queda de 11,4% frente ao mês anterior. Se considerados os distratos como proporção das vendas, por safra de lançamento (trimestral), as unidades lançadas no primeiro trimestre de 2014 registraram a taxa mais elevada da série histórica (28,4%)

Fonte: Revista Qual Imóvel